Top Menu
rsz_capa1

A ilha do imaginário coletivo!

Olhando pela janela do avião, a culpa e a tristeza por ter deixado Atenas para trás, com tanta coisa ainda por conhecer nos seus arredores, logo começaram a se desvanecer! Mais um dia belíssimo, de céu claro e sem nuvens, e as ilhas lá embaixo, pertinho, mostrando seus contrastes entre o solo escuro e vulcânico, e o azul turquesa do mar e das piscinas dos hoteis! E a ansiedade tomando conta, pois em poucos minutos nós aterrissaríamos em Mykonos!

xxx
Meu hotel na flechinha vermelha

Como chegar

O percurso entre Atenas e Mykonos é feito em apenas 35 minutos e custa em média R$ 250,00 por pessoa, o trecho somente de ida. Costumo ver preços na Skycanner e na edreams. Como o avião não vai até a altitude de cruzeiro (uma benção para meus ouvidos!), então dava para ver tudo lá embaixo, com detalhes. Acho que as ilhas do arquipélago das Cíclades, de uma maneira geral, seguem à risca um 11º mandamento particular:

Pintarás tua casa de branco e as portas e janelas de azul, ano após ano, antes da chegada da alta temporada! E construirás, com o suor do teu trabalho, de outubro a abril, uma linda piscina de borda infinita. E plantarás muitas bouganvilles, para pincelar de carmim esse cenário bicolor…

Fiquei pensando nessa bobagem…

DSC01294
Na primavera-verão a ilha é toda assim, cheia de bouganvilles!

…quando de repente ELA, a ilha da fantasia do inconsciente coletivo, a quintessência do paraíso, arquétipo do prazer e da luxúria, começou a ficar maior, e maior, e nossa, ela é grande mesmo! Pouso perfeito, apesar da ventania, avistando o mítico Mar Egeu pela primeira vez! No pequeno aeroporto, uma lufada agradável nos deu as boas-vindas, e percebi que, finalmente, havíamos aterrissado em Mykonos, um dos mais famosos e badalados ícones da Terra!

xxxx
A vida é melhor de férias em Mikonos!

As muitas tribos

Ah, Mikonos…tão chique e sofisticada, mas ao mesmo tempo tão democrática e liberal, de gregos e troianos, dos gays e dos héteros, do jetset e da periguete, das famílias (sim!) e dos solteiros, e também de nós, você e eu, pessoas comuns e normais!

Esta charmosíssima ilha é, de longe, a mais animada da Grécia e também a mais eclética, pois recebe todos os anos, de braços abertos, levas e mais levas de turistas de todas as tribos: desde os mais idosos, que descem dos enormes transatlânticos para passar apenas o dia, até os ricos e famosos, de fachada, de berço ou de ocasião. Também são bem-vindos, nessa alegre gaiola das loucas, os casais em lua-de-mel, os hippies e mochileiros, assim como os “mudernos” e antenados!

576
Fácil, né?

E os descolados são muitos, divididos em categorias distintas, a começar pelos: 1) gays (=) fortões e bonitões, que são muito machos para sair, em plena luz do sol, com brilhos mil, camisetas e shortinhos apertadéssimos e seus indefectíveis óculos espelhados Ray Ban (um must have na ilha!); 2) as moças lindas de doer de inveja, com seus olhos claros e cabelões loiríssimos ao vento, pele bronzeada, roupas etéreas e brancas (sempre) e cara de tédio (como assim???);

Moinhos-de-ventos
Mikonos é assim, sempre cheia de enormes transatlânticos!

3) os italianos típicos, maioria absoluta, que acham que a ilha é o quintal da nona deles, e que apesar de super fashion e metidos a latin lovers, são “espaçosos”, falam alto e gesticulam muito (ok, nós também!); 4) as hordas de jovens de todo o mundo, alegres, independentes e deliciosamente inconsequentes, andando pra lá e pra cá naqueles quadriciclos barulhentos e “malas”, que empacam e empatam nas ladeiras mikonianas; 5) e claro, os brasileiros, que são figurinha fácil por lá, como se o “lá” fosse logo ali, em Búzios, Itacaré, ou Jeri!

Mikonos
Mikonos e seus 50 tons de azul!

A ilha do glamour, do brilho e do glitter!

Se Mikonos fosse uma mulher, seria daquelas poderosas, de personalidade e atitude, que “causam” quando chegam, que são, que acontecem! Mas tudo muito cool, low profile, comme il faut numa it girl que se preze (se não entendeu, procura no google). Porque ela sabe tudo o que representa e, como toda mulher, tem mil e uma faces: é brejeira (sim!) e sensual, acolhedora e selvagem, escancarada e misteriosa, permissiva e recatada! Tem um lado que tudo pode, e outro mais recolhido, provinciano, até! Só mesmo neste lugar mágico é que o grego ortodoxo, de cabelos brancos, roupas escuras e barba encaracolada, convive harmoniosamente, e há anos, com essa fauna sazonal tãããão exótica!

481808_10151516066835126_1876312545_n
Os típcos moinhos de vento

A ilha dos labirintos

Nossa, me excedi, aí saí pra dar um passeio pela cidade pra espairecer e voltar pro texto novamente! Só que o nosso hotel ficava lááááá no alto, embora pelas fotos não pareça! Então era sempre uma aventura divertida o sobe-e-desce de lá até a cidade e vice-versa! E o passatempo era esse: se achar e se perder, no meio daquele labirinto de ruazinhas estreitas e super charmosas, com suas casinhas imaculadas e cúbicas, suas lojas e restaurantes super transados e infraestrutura de primeira! Mykonos enfeitiça!

Mykonos-Town-37812
A ilha é assim, cheia de lugares charmosos!

O point do agito

Mais uma vez escolhi ficar no centro, em Chora (se pronuncia “Rora”, como rua), só que no topo, por causa da vista! É em Chora que ficam vários hoteis, restaurantes, lojas, joalherias, galerias de arte, as típicas e charmosas ruazinhas, os famosos moinhos de vento, o porto e o agito. As famosas “Beach Parties” ficam em outro lugar, nas praias de Paradise e Super Paradise, que deram (merecidamente) tanta fama a Mykonos!

h-1-mykonos-windmills
Pôr do sol na área dos moinhos é lindo!

No primeiro dia descemos até a orla, depois de nos perdemos muito, e fomos conhecer o Porto Novo e o Velho, num canto, e depois os famosos moinhos de vento e a romântica Little Venice, no outro canto. A beira-mar é fascinante e muito agradável, e percebi que, quanto mais brancas são as construções cúbicas da ilha, mais vibrantes e luminosas ficam todas as outras cores ao seu redor, especialmente os vários matizes de azul do céu e do mar!

461
As icônicas cúpulas azuis das igrejas

A arquitetura de Mykonos

Aliás, muito se tem discutido a respeito dessa arquitetura tão singular de Mykonos e do impacto que ela causa em seus visitantes. É que estamos tão acostumados com os estilos rebuscados e monumentais do passado, e também com os excessos futuristas do presente, que usa muito vidro, alumínio e concreto, que quando nos deparamos com algo assim tão complexamente simples e despretensioso, o efeito é realmente devastador em nossa psiquê!

É tudo tão relaxante e acolhedor, que queremos nos mudar para lá para sempre, ter uma casa branca de portas e janelas azuis, com flores na janela, de preferência de frente para aquele marzão, com seus 50 tons de azul!

x3
É quase lei: casinhas brancas com portas e janelas azuis
x2
Simples assim!

A Mykonos da mitologia e a dos mortais

Andando pela cidade descobri que, segundo a Mitologia Grega, Mykonos era neto de Apolo, o deus da beleza e da luz, e sua mãe era sobrinha de Dionísio (ou Baco), o deus do vinho e da alegria. O resultado não poderia ser outro: um lugar exuberante, repleto de cores, luzes e muita diversão! E pensar que o turismo começou a deslanchar de verdade somente após o término da II Guerra Mundial, quando o local serviu de porto para os aliados! Foi a partir daí que as suas belezas começaram a ser divulgadas mundo afora.

CNT_mykonos-town-greece
Baía de Mikonos vista do mirante

Mas isso não foi de imediato! Lá pelos idos de 1960, quando a ilha ainda não era destino dos voos da classe econômica, quem circulava por lá eram apenas os privilegiados passageiros de luxuosos iates, as estrelas de cinema, artistas plásticos e escritores em busca de inspiração.

Algum tempo depois, juntamente com o primeiro serviço regular de balsas, começaram a desembarcar, também, os hippies e os mochileiros. E assim, pouco a pouco Mykonos foi se tornando um destino turístico popular e acessível, cumprindo sua predestinação de ser fashion!

MYKONOS-4
Little Venice

Quando o destino encontra a sua musa

A grande guinada aconteceu em 1973, quando o artista plástico Piero Aversa, “The King of Mykonos”, abriu o Pierro’s Bar, direcionado especificamente para a comunidade gay. O lugar era muito chique, vivia lotado e acendeu a primeira centelha da transgressão e da liberalidade, retomando para a ilha toda a atenção que antes estava voltada apenas para a vizinha, Delos. E aí o boca-a-boca se encarregou de espalhar para o mundo as delícias deste lugar idílico e democrático. Com um público gay cada vez mais crescente e exigente, Mykonos também cresceu e apareceu!

362
Os moinhos não funcionam, mas são um charme!

Gays & Cia

Considerada por anos a fio como um destino predominantemente gay, nos últimos tempos Mykonos tem conquistado novos visitantes: celebridades de vários segmentos, gente das artes, da moda e do design ajudaram a transformar o balneário numa espécie de Saint Tropez do Mar Egeu! Tudo isso graças à dupla personalidade da ilha, que oferece paisagens exuberantes e tranquilas para casais e famílias, mas também uma vibe baladeira com uma loooonga e frenética vida noturna!

427
Paradise beach, ainda inocente…
2749
Paradise Beach começando a se assanhar!

Claro que isso tudo mudou consideravelmente os ares de Mykonos, e as casas simples de Chora começaram a dar lugar a charmosos hoteis, lojas, galerias de arte e elegantes restaurantes, e então esta pequena ilha se tornou uma referência em termos de refinamento e glamour! E hoje em dia, apesar de ter se transformado numa Babel pós-moderna, alegre e cosmopolita, que recebe celebridades de todos os quilates, este lugar mágico tem conseguido manter seu ar pacato de cidade do interior! Graças a Zeus!

AZUL
Azul é a cor mais quente!

É roubada!

Quando chegamos lá embaixo, a cidade estava bem cheia e muito alegre, céu claro, brisa gostosa, comprinhas, fotos, por do sol de cinema, mais fotos, mas teve uma roubada por minha culpa: jantamos num daqueles restaurantes à beira mar, perto dos moinhos e foi muito ruim! A comida era de carregação, do tipo engana-turista-trouxa, então não caia nessa, tome no máximo um drink, e só! Mas é que a vista estava tão linda e romântica…quem manda ser piegas, é nisso que dá!

347
Little Venice, o Baixo Mikonos!
345
Na beira-mar: fotos, selfies, pôr do sol e no máximo um drink

Não que todo restaurante localizado num ponto turístico seja pegadinha, não é isso. Já fui em outros lugares super-hiper-mega turísticos e comi muito bem. A questão é ter um mínimo de feeling e não estar esfomeado (era o meu caso!), pra sacar que pode ser roubada.

Tem que reparar na atitude do garçom (detalhe importante: em Mykonos eles são bem mais simpáticos do que em Atenas!), prestar atenção nos pratos das outras mesas (adoro fazer isso!) e dar sorte também! Pra tentar fugir desse erro que cometi, pegue sempre sugestões nas revistas e nos guias de turismo, além de pedir dicas pro pessoal do hotel.

Small square in Mykonos
Muitas vezes os restaurantes escondidos são as melhores surpresas!

Carro sim, porque rodar é preciso!

No dia seguinte, para compensar, tivemos um maravilhoso café da manhã, com o bônus da vista das fotos abaixo! Depois, pegamos o nosso lindinho Convertible Smart, que parece um cabritinho bravo, e finalmente fomos a la playa, ô, ô, ô, ô, ô! Eu recomendo alugar um carro para rodar à vontade pelas várias praias da ilha, pois as mais bonitas e badaladas ficam ao sul e a sudeste de Chora.

240
Bom dia, paraíso!
251
Breakfast with view!

Quanto custa

Custa caro, em média 70/90 euros por dia na alta temporada, mas vale a pena! O carro deve ser alugado com muita antecedência e os hoteis oferecem esse serviço. Para dirigir por lá é necessário ter carteira internacional de habilitação e, acima de tudo, ser bom motorista nas ladeiras! Um carro como o Smart dá conta muito bem, pois ele é possante para subir as íngremes ladeiras de Mykonos, além de ter modelos hidramáticos, conversíveis, com ar-condicionado e ser um charme!

1102
Convertible Smart

Não há necessidade de alugar ou levar um GPS, pois a ilha é bem sinalizada, então um mapa e um(a) copiloto(a) já são suficientes. No início, confesso que é um pouco confuso, pois todas as placas estão escritas primeiro em grego, e depois em inglês, mas a gente acaba se acostumando. Triciclos e quadriciclos, na minha opinião, são roubada, até mesmo para os adolescentes, pois eles (os “veículos”) se recusam a subir as ladeiras mais íngrimes!

A-map-mykonos-isle
Mapa das praias: não precisa de GPS

As praias

No segundo dia fomos às praias: 1) Elia, a 9 km de Chora, a primeira grata surpresa! Ela tem uma longa faixa de areia e de pedrinhas, água claríssima e muito azul. Pode ser alcançada de ônibus, tem uma boa estrutura e o trio barraca + duas espreguiçadeiras, que custam 12 euros; há uma área específica para o nudismo; 2)  Kalo Livadi, outra praia com longa faixa de areia, tem crescido e aparecido, pois há cada vez mais acomodações, mas sem perder o charme e a quietude. Fica a 10 km de Chora e também pode ser alcançada de ônibus;

original_i-kalafatis-3
Kalafatis Beach

3) Agia Anna é uma prainha escondida e bem charmosa, com o trio de sempre, a 12 euros; saindo desta praia dá para ir a pé até 4) Kalafatis, que é linda e tem ótimos ventos para a prática do windsurf; 5) Agrari, a 7 km do centro, fica perto da Elia e tem uma bela folhagem circundando a área. Apesar de estar bem próxima de Super Paradise, não tem nem a fama nem os serviços da vizinha famosa, mas vale a visita.

409
Êêê marzão do Egeu!

Eu sei que neste exato momento você está se perguntando: como assim, 5 praias num só dia??? Ah, então acabou não curtindo nenhuma direito! Nãnãninãnã, muito pelo contrário! Como os dias de verão na Europa duram muito, com o sol se pondo ente 9 e 10 horas da noite, dava pra curtir várias praias num mesmo dia, sim! Claro que eu também não ficava na cama até tarde, porque dormir em euros, eu hein, deixo pra dormir em casa! E eu estava em Mykonos!!!

334
Praias e igrejas convivem em harmonia!

Também não frequentava as festinhas pós-praia, pois o meu estado civil não me permitia, então a opção era acordar cedo mesmo. E tinha outro detalhe crucial: pagar em cada praia 12 euros pelo trio barraca + 2 espreguiçadeiras + comida + bebida + o aluguel do carro + a gasolina (que é muito cara), faz as contas! Então escolhíamos uma praia para nos instalarmos, comer, beber, etc., e as outras para dar um mergulho e ficar menos tempo, sentados na canga mesmo.

318
Ôôôô vidinha mais ou menos…

As beach-parties

No dia seguinte, depois de muita ansiedade da minha parte, fomos finalmente às divas: Paradise, Super Paradise, as conhecidas party beaches, Paraga e Psarou, todas ao sul da ilha. Paradise e Super Paradise ficam uma ao lado da outra, são muito bonitas e simpáticas e é nelas que “tudo” acontece! De manhã, até umas 5, 6 da tarde são calmas e sem vestígio algum do que virá mais tarde…

super-paradise-beach-mykonos-2
Vista aérea de Super Paradise Beach
super-paradise-beach-mykonos-5
Super Paradise: a mais bonita!

Começamos o dia por Super Paradise, onde ficamos por muito tempo, pois foi a praia que mais gostei. Meu marido não admite, mas sei que foi a praia que ele mais gostou também! Nessa hora tudo estava bem tranquilo, até demais! Lá tem um quiosque enorme e muito transado, com restaurante, lockers, banheiros com chuveiros, pois o povo emenda, e uma loja muito maneira.

DSC_55761
Super Paradise começando a esquentar!

Nem de longe daria para imaginar a transformação que ocorreria dentro de poucas horas! Não é à toa que a “mascote” da praia é uma simpática serpente, com cara de safada (na foto abaixo, é a da direita!). O local específico dos gays e dos nudistas é o do lado direito, onde vi somente um topless e um pelado, e mesmo assim de longe! Em homenagem à diversidade e à comunidade LGBT fiz questão de usar meu sutiã de arco-íris! E viva Mykonos!!!

399
Eu sou a da esquerda!

Depois seguimos para Paradise, a mais famosa das famosas! Esta foi a primeira praia de Mykonos a oferecer um local especialmente para os nudistas, além de ser mundialmente conhecida por suas festinhas pra lá de animadas! Aliás, muito do que a ilha representa há tempos, um cobiçado e idolatrado destino turístico, se deve a esta praia!

Essa praia é facilmente alcançada de ônibus ou barco, e durante o dia é bem tranquila, frequentada por casais e famílias. A sua faixa de areia em meia lua esconde, com árvores e ombrelones, uma big discoteca onde os agitos prometem! E cumprem! Ficamos um bom tempo nas nossas espreguiçadeiras maravilhosas, olhando a vida passar, e juro, vi somente um topless, nenhum pelado, e uns poucos gays.

404
Mergulho no Mar Egeu

De lá fizemos uma travessia para Paraga, andando por cima das pedras, saboreando uma vista deslumbrante! Lá estava lotado, sol a pino, então ficamos beach club, muito agradável, com uma bela vista do alto, bom atendimento e uma ótima comida! A 2ª foto abaixo mostra Psarou uma bela praia de areia branca e encostas verdes, cercada de tabernas e hoteis charmosos, mas extremamente seletivos! É lá onde ficam os ricos e famosos, com suas lanchas poderosas! That’s Mykonos as well!!!

417
Paraga Beach Club
Psarou
Psarou Beach

Quando o sol começa a se pôr…

Agora vejam a transformação que acontece a partir das 17, horas! Não, não fui eu que tirei essas fotos, infelizmente. Não, eu não estava lá. Mas bem que queria, pelo menos pra saber como é!

DSC_2024
Paradise Beach

Depois de mais um dia de muita praia, uma mais linda do que a outra, voltamos exaustos mas felizes para o nosso hotel, para dessa vez ver o por do sol de lá.

mikonos
Inesquecível!

Nosso hotel

E valeu a pena! Aliás, o Hotel Vencia, onde ficamos, foi um caso de amor à primeira vista, desde que o achei por acaso numa pesquisa na internet! Para esta viagem tão sonhada, o hotel teria que acompanhar as minhas expectativas, e ele não me decepcionou!

288
A piscina de borda infinita (foto do site do hotel)

O que mais me chamou a atenção, de cara, foi a linda piscina de borda infinita, com uma vista privilegiada de Chora, com as suas casinhas brancas, os moinhos de vento e o marzão lá embaixo. Depois foram as inúmeras críticas favoráveis no Tripadvisor, que é meu fiel guia virtual, para qualquer lugar para onde vou, seja no Brasil, seja no exterior.

305_2
Pool bar (foto do site do hotel)

Aí realmente decidi que seria lá que ficaríamos quando vi as fotos abaixo, tiradas por Dimitris, o barman búlgaro do hotel, que nos preparou drinks maravilhosos! Acrescento que o serviço e a hospitalidade foram excelentes, assim como o café da manhã e o jantar ao por do sol! Um bônus oferecido pelo estabelecimento foi a sua localização, primeiro pelo visual incrível, depois pela aeróbica grátis, ladeira abaixo, ladeira acima, o que nos permitiu comer e beber sem nóia, culpa ou quilos a mais!

9

39224_1472599489740_1076226246_31328506_5882630_n

Quando ir

No verão, claro!!! De junho a setembro a ilha literalmente ferve, com o ápice nos meses de julho e agosto. É quente, mas sopra sempre uma brisa agradável, as águas do mar estão calmas, cristalinas e com temperatura deliciosa. É possível ver artitstas, top models e muuuuuita gente bonita! Mas, entre abril e maio, que é a primavera, a ilha fica mais verde e florida e menos quente e cheia, o que também é uma boa opção. A grande maioria dos hoteis fecha entre final e outubro e só reabre no final de abril, início de março.

Onde ficar

Em Chora há várias opções sem ser lááááá na pirambeira onde fiquei, como o Mykonos View, o Harmony Boutique. E há também os top hotels, como o SameliBill & Coo Suites and Lounge, Kouros Hotel & Suites

bill 1

A Ilha de Delos: um ótimo bate-e-volta!

No 4º dia entregamos o carro no hotel e depois descemos até o Porto Antigo, para pegar o nosso barco em direção a Delos, um dos sítios arqueológicos mais significativos da Grécia, razão do turismo em Mykonos antes dos anos 60. Esta atração imperdível fica a apenas 40 minutos do porto de Chora, e é era ali que ficavam os famosos Oráculo de Delos e o Santuário de Apolo.

mykonos_super_paradise
Mapa de Mikonos e de Delos

Os cultos aos deuses começaram em 1400 a.C, mas o seu apogeu foi no século VII a.C, período em que o lugar destacou-se como o maior porto comercial e o mais importante centro religioso do Mar Egeu. Nesta época a sua população era de 30 mil habitantes, e lá foram erguidos o Terraço dos Leões e a estátua de Apolo.

464
Barco para Delos, passeio imperdível a 45 minutos de Mikonos

Um pouco de Mitologia

O todo-poderoso Zeus, que era um mulherengo incorrigível, engravidou Leto, que com medo da ira da esposa ciumentíssima dele, Hera, buscou refúgio nesta ilha eternamente escondida por brumas, para dar à luz a seus dois filhos, Apolo e Artemis, a deusa da caça. Quando Hera descobriu mais esta infidelidade do marido, aliou-se a deusa do nascimento para que esta prolongasse, por 9 dias, as dores do parto da sua rival.

delos
Cópia dos leões, os originais estão no Museu de Delos

Quando as crianças finalmente nasceram, a neblina que cobria a ilha desapareceu e o nome do lugar mudou de Adelos (invisível) para Delos (visível). A lenda fez com que a ilha se tornasse um local de peregrinação e, antes de tomar qualquer decisão importante, muitos guerreiros e governantes iam primeiro a Delos, para consultar o seu oráculo sagrado.

delos-temple
Antigo templo de Delos

Delos: Patrimônio da Humanidade

Em 1873, quando arqueólogos franceses começaram as escavações, desenterraram uma cidade completa, rica, elegante e influente, que um dia lá existiu. As ruínas trouxeram à tona terraços, templos, portos, mercados, ginásios, um teatro, praças e imponentes residências. As casas possuíam belas colunas de mármore e o chão era adornado por ricos mosaicos, que resistiram ao tempo e às intempéries! Este incrível museu a céu aberto foi tombado pela UNESCO, como Patrimônio da Humanidade, em 1990.

delos_2004_jpg_600x
Mosaicos quase intactos
Delos_003
A beleza dos mosaicos milenares!

Hoje, além das ruínas, há na ilha um interessante museu, uma lanchonete e uma loja. Não é permitido pernoitar, nem mesmo ficar em embarcações nas imediações da costa da ilha, após as 15:00 horas. Os trabalhos dos arqueólogos seguem em frente, alimentando os museu e a nossa imaginação, com pedaços dessa milenar História!

489

Aproveitei que estava ali e fiz uma consulta ao Oráculo Sagrado, para saber o que os deuses estavam reservando para mim em Santorini, o meu próximo destino, depois de dias tão incríveis em Mykonos! Quer saber o que foi que ele me revelou? Então não perca o meu próximo post!

 

About The Author

Deixe um Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Translate »
Close