Top Menu

Dubrovnik, onde a vida imita a arte

Those who seek paradise on earth should come to Dubrovnik
Aqueles que procuram o paraíso na Terra devem vir a Dubrovnik
George Bernard Shaw (dramaturgo irlandês)

A história de Dubrovnik é tão épica quanto a própria série Game of Thrones, que catapultou a cidade à fama mundial, logo após ter tido vários episódios gravados lá. Tombada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, em 1979, essa linda cidade medieval já esteve sob o domínio da Alemanha nazista, do Império Austro-Húngaro, e da República de Veneza.

Litoral de Dubrovnik e filme fotográfico com cenas de Game of Thrones
Dubrovnik: a arte imita a vida, ou a vida imita a arte?

A cidade já esteve, também, sob tutela dos turcos, passou pelas mãos de franceses e britânicos, sucumbiu a invasões otomanas, teve grande importância no Império Romano e abrigou bases comerciais gregas. Portanto, quando Cabral chegou ao Brasil, em 1500, os croatas já tinham no mínimo uns 15 séculos de civilização!

Bandeira da Croácia com o Monte São Sérgio ao fundo - Dubrovnik
A bela bandeira da Croácia

Dubrovnik, a cidade das muitas mazelas

Dubrovnik, ou “Dubrava”, que no dialeto local significa “madeira”, tem este nome por causa dos muitos pinheiros e carvalhos que havia na região. No entanto, apesar da beleza, a vida na “República da Ragusa”, seu nome italiano, não foi nada fácil! Além das várias guerras e invasões com o intuito de dominá-la, o povo também enfrentou o “Grande Terremoto de 1667”. Além disso, mais de 5 mil pessoas morreram e muitas construções foram totalmente destruídas!

Pintura de Dubrovnik intramuros antes de 1667
Dubrovnik antes de 1667 (pintura exposta no Mosteiro Franciscano)

A última guerra (toc,toc,toc!)

Recentemente, o fato político mais marcante aconteceu no plebiscito de 25 de junho de 1991, quando os croatas resolveram se separar da Iugoslávia. Desde 1918, havia também na sua população sérvios e eslovenos. Pois é, esse antigo país era  formado por seis repúblicas, cinco etnias, quatro línguas, três religiões, dois alfabetos e um único partido! Dessa maneira, ficou muito complicado manter a união em meio a tantas rusgas e diferenças!

Mapa com as mudanças da antiga Iugoslávia de 1815 até 2007_Dubrovnik
A Iugoslávia através dos anos

A Croácia declarou a sua independência no dia 6 de outubro de 1991, no entanto os sérvios, apoiados pelos montenegrinos, não aceitaram! Como resultado, a sangrenta Guerra dos Balcãs começou e se alastrou pela região, num grande efeito dominó! E assim, vários conflitos étnicos e religiosos foram deflagrados, infelizmente com muitas baixas.

Os Balcãs com os vários países que surgiram da Iugoslávia_Dubrovnik
As muitas mudanças no mapa da Balcãs

Uma nova nação… só que não!

Com o intuito de tentar acabar com a guerra, em 1992 a Croácia foi reconhecida como nação independente pela Comunidade Europeia (CE), depois de forte pressão da Alemanha. Por isso, neste mesmo ano o país foi admitido na ONU, porém, Montenegro insistia que, historicamente, Dubrovnik lhe pertencia, apesar da população na época ser majoritariamente croata, 6% sérvia e com uns poucos montenegrinos! Em contrapartida, o caldeirão multicultural explodiu de vez…

Muralhas de Dubrovnik em chamas durante a Guerra dos Balcãs
Muralhas de Dubrovnik em chamas durante a Guerra dos Balcãs

Apesar de ter as chancelas da UNESCO, ONU e CE, a simbólica Dubrovnik não foi poupada! Assim, entre 1991 e 1992, sérvios e montenegrinos a bombardearam sem dó. A cidade ficou 7 meses sitiada e, em maio de 1992 o exército croata acabou com o cerco e libertou os seus arredores. Todavia, o Exército Popular Iugoslavo (JNA) se manteve lá firme por mais três anos, então a guerra só acabou de fato em 1995. Ufa!

Soldado croata no alto do Monte Srđ com Dubrovnik ao fundo
Soldado croata no alto do Monte Srđ, que pela localização estratégica, era a principal área de defesa da cidade

No meio da Croácia tinha a Bósnia…tinha a Bósnia no meio da Croácia!

A partir de então, o país e a cidade tiveram finalmente a sua autonomia territorial devolvida… só que não! Senão vejamos: a estrada para Dubrovnik é ótima, bem sinalizada, as paisagens são paradisíacas, mas de repente o viajante se vê obrigado a fazer uma parada na alfândega na cidade de Neum… que fica na Bósnia-Herzegovina! Pois é, nessa confusão pós-guerra a Bósnia acabou esticando um grande braço territorial por dentro da Croácia, para conseguir chegar até o mar! Confira no mapa abaixo:

Mapa do litoral de Dubrovnik e da Bósnia
Croácia → Bósnia (Neum) → de volta à Croácia!

Então é assim: você sai da Croácia, mas continua na mesma estrada, roda 25 quilômetros dentro da Bósnia, e só depois é que volta à Croácia, ainda pela mesma estrada! Oi? Como assim? É como se aquele seu vizinho “mala” de repente anexasse o hall social ao apartamento dele, o que te obrigaria a passar primeiro pela casa dele, para depois você poder entrar na sua! Puxado, né?

Posto de controle de passaportes na fronteira entre Dubrovinik e a Bósnia
Posto de controle de passaportes em Neum

Então, claro que a Croácia acabou se dividndo em duas partes! Surreal, mas pelo menos a parte alfandegária para a checagem dos passaportes é bem rápida, tranquila e indolor… para nós turistas! Mas para os croatas não sei se é bem assim. Por outro lado, foram tantos anos de guerra, mortes e destruição, que acho que todos acabaram fazendo vista grossa pra esse “atalhozinho” que a Bósnia inventou, pra lá de inusitado e inconveniente!

Mapa do litoral de Dubrovnik com um braço avançado pela Bósnia
No meio da Croácia tinha a Bósnia…tinha a Bósnia no meio da Croácia!

E viva o Capitalismo!

Bem, depois que passamos por essa epopeia histórico-logística, prosseguimos nossa viagem rumo a Dubrovnik! Logo após a parada forçada, que nos remeteu a tempos nada amistosos, apesar do educado guarda alfandegário, veio a enorme ponte estaiada da foto abaixo, símbolo da modernidade, do progresso e por que não dizer, do bom e velho CAPITALISMO!

Ponte estaiada perto do Porto Gruž_Dubrovnik
Quase chegando!
Ponte estaiada e transatlântico perto do Porto Gruž_Dubrovnik
Eitcha, mas que exagero!

Há também várias marinas cheias de lanchas, transatlânticos parados no Porto Gruž, praias, belas e modernas vilas, que lembram bastante as italianas, pela estética e pela quantidade de ciprestes. Enfim, tudo é bem organizado e civilizado. Fiquei pensando em como tudo isso deveria ser diferente há apenas 20, 30 anos atrás…

Marina e vilas em estilo italiano_Dubrovnik
Visual italiano na Croácia

Enfim, Dubrovnik!

Finalmente, quando chegamos à “Pérola do Adriático”, alcunha dada a Dubrovnik pelo poeta inglês Lord Byron, confirmei que ela é realmente tudo o que se tem falado a respeito! E olha que eu ainda estava do lado de fora da muralha, esperando o funcionário da locadora vir buscar o nosso carro! As fotos abaixo mostram a minha chegada à cidade e, se como dizem por aí, a primeira impressão é a que fica, pra mim Dubrovnik passou no teste com louvor!

A muralha que cerca o Centro Histórico de Dubrovnik vista pelo lado de fora
A bela muralha vista por fora
A muralha vista do Forte Lovrijenac (Forte São Lourenço)_Dubrovnik
A muralha vista do Forte Lovrijenac (Forte São Lourenço)

Os portões

Entra-se na parte antiga da cidade por dois portões principais: o Pile Gate, a oeste (construído entre 1272-1537) e o Ploče Gate, a leste (construído em 1450 e alargado no séc. XIX). Assim, nós entramos pelo Pile Gate, que é um complexo todo de pedra, bem fortificado, com uma ponte levadiça e enormes portões de madeira.

Pile Gate, uma das entradas da cidade murada_Dubrovnik
A entrada da cidade murada pelo Pile Gate

Por outro lado, os fossos viraram lindas praças, com bancos e vistosas laranjeiras. Acima do arco da entrada principal há uma pequena estátua de São Brás, o patrono de Dubrovnik, segurando uma miniatura da cidade na mão esquerda. De acordo com a lenda, o santo falecido no séc. IV apareceu para um padre no séc. X avisando que os venezianos atacariam a cidade. Conforme previsto, o ataque realmente aconteceu alguns anos depois!

Estátua de São Brás na entrada do Pile Gate_Dubrovnik
A estátua de São Brás

Carros não entram no centro histórico, então, após passar pelo Pile Gate, há uma rampa larga, seguida por uma escadaria que vai desembocar diretamente na principal rua de Dobrovnik, chamada Stradun (do italiano strada). Ela tem apenas 300 metros de extensão, onde se concentram vários edifícios antigos e atrações turísticas, restaurantes, lojas e cafés .

Portões do Pile Gate_Dubrovnik
Pile Gate
O lado de dentro do Pile Gate_Dubrovnik
O lado de dentro do Pile Gate

A Placa

Conforme vemos na foto abaixo, a pavimentação da Stradun, também chamada de Placa, é de 1468, toda em mármore branco e reluzente. Hoje, contudo, em nada lembra a cidade devastada pelos bombardeios durante a Guerra dos Balcãs, quando entre 1991 e 1992, 563 dos 864 edifícios da cidade antiga foram atingidos por inúmeros projéteis.

Vista aérea da Stradun_Dubrovnik
A Stradun
O lustroso chão de mármore da Stradun_Dubrovnik
O lindo chão de mármore da Stradun

A reconstrução de Dubrovnik

Logo após o fim da guerra, em 1995, teve início o grande projeto de reconstrução da cidade, que foi encampado pelo governo croata e pela UNESCO. No entanto, um dos maiores problemas enfrentados na época foi substituir as telhas de terracota dos edifícios da cidade antiga, os quais ficaram bem danificados pelos bombardeios. Dessa maneira, uma fábrica francesa foi escolhida para a reposição, por isso os novos telhados têm um tom bem mais forte do que os antigos.

Vista aérea de Dubrovnik intramuros
Os telhados novos e bem coloridos
Os novos telhados das casas do Centro Histórico_Dubrovnik
Os estragos da guerra foram reparados

Assim, durante a reconstrução, as estruturas antigas dos edifícios também foram reforçadas, para enfrentar possíveis terramotos. Em 2005, muitos danos da guerra já tinham sido reparados, mas os sinais dos bombardeios podem ser vistos até hoje, em vários lugares. O mapa abaixo mostra os pontos atingidos durante o cerco à cidade.

Mapa dos bombardeios em Dubrovnik durante a Guerra dos Balcãs
Mapa dos danos sofridos pela cidade durante a guerra

Vida que segue

Enfim, depois desse enorme trabalho de revitalização, hoje em dia a população no centro histórico é de aproximadamente 2 mil habitantes. Dessa maneira, as pessoas voltaram a viver nos edifícios recuperados, que seguiram o estilo original: loja no térreo, quartos e sala no 1º andar e cozinha no último, para isolar os cheiros e preservar o resto da casa, em casos de incêndio. Com efeito, a Stradun está linda de novo, conectando o Pile Gate, onde fica a Fonte Onofrio, ao Ploče Gate, onde está a enigmática Coluna de Orlando.

Ploče Gate_Dubrovnik
Ploče Gate

A muralha: atração nº 1 de Dubrovnik

A atração nº 1 da cidade é dar a volta completa no centro histórico, mas andando por cima das muralhas que o cercam, programa imperdível! O circuito todo tem 2 km feitos por caminhos estreitos, mas que por vezes se alargam bastante, com direito até a uma providencial lanchonete, para se hidratar e descansar. A fim de não passar mal, no verão use roupas leves, sapatos confortáveis, protetor solar, chapéu, óculos escuros e água são itens fundamentais! Guarde o seu tíquete, pois ele será pedido pelos vários pontos do trajeto.

Turistas caminhando pelas muralhas de Dubrovnik
Um oásis no meio da muralha, com sombra e suco fresco!
Turista na muralha com a Torre Minčeta ao fundo_Dubrovnik
A bela Torre Minčeta ao fundo

O sobe-e-desce é constante e sempre no sentido anti-horário, com entradas e saídas específicas (é permitido entrar e sair da muralha e regressar no período de 30 minutos). Assim, começamos pelo Pile Gate, que era o mais próximo do apartamento onde ficamos e o percurso em si, naquele calorão, foi bem amenizado pela linda vista da cidade antiga e do marzão azul do Adriático! Com efeito, da muralha se percebe com clareza que quase todos os telhados das casas são novos.

Turista na muralha com os novos telhados ao fundo_Dubrovnik
Lego City!

Dobrovnik: dica 1

Para se programar e evitar as multidões na alta estação que invadem diariamente a bela Dubrovink, principalmente para a caminhada pela muralha, veja os horários das chegadas dos transatlânticos, em 2016 e 2017. Então, clique em “godina”para escolher o ano, marque o quadradinho “Svi mjeseci” e depois clique lá embaixo em “prikaz izvješća” para abrir a tabela!

Muralha bem alta na parte que dá para o mar_Dubrovnik
A parte da muralha que dá para o mar é bem alta

A muralha começou a ser construída no séc. VII e no XVI ela foi bem reforçada. Como resultado, alguns trechos chegam a ter 25 metros de altura, o equivalente a um prédio de 8 andares, por até 6 metros de largura! São 130 canhões, 16 torres e 5 fortes: Revelin, Minčeta, Lovrijenac (São Lourenço), São João e Bokar, localizados em pontos estratégicos. Portanto, o objetivo era defender a cidade contra as constantes invasões, principalmente dos venezianos.

Forte Minčeta nas muralhas do Centro Histórico_Dubrovnik
Forte Minčeta
Forte Bokar à beira-mar_Dubrovnik
Forte Bokar

Os fortes

Os fortes Revelin e o São Lourenço hoje em dia são usados para concertos e apresentações teatrais no verão. Com certeza, o São Lourenço, que tem 37 metros de altura e já foi uma prisão, tem uma das mais bonitas vistas do exterior da muralha e da parte nova da cidade, com os seus belos jardins.

Forte Revelin com barcos em frente_Dubrovnik
Forte Revelin

Hoje em dia o Forte São Lourenço pode receber, também, festas badaladas e até cerimônias de casamento! Acima da porta que conduz à entrada da fortaleza há a seguinte frase cravada na pedra: “Non Bene Pro Toto Libertas Venditur Auro”/”A liberdade não pode ser vendida nem por toda a riqueza do mundo” (Ivan Gundulić, poeta croata).

Turistas de caiaque aos pés do Forte São Lourenço_Dubrovnik
Forte São Lourenço

O Forte São João, construído entre 1346 e 1557, fica na marina e tinha a importante função estratégica de proteger e controlar o acesso ao porto da cidade antiga. O forte, contudo, teve a sua defesa bem reforçada depois da queda de Constantinopla, em 1453. A fortaleza que se vê hoje é o resultado da junção do antigo Forte Dock, que se conectava à cidade intramuros, com o Forte Gundulić, que tem a forma semicircular.

À esquerda, Forte São João e o porto do Centro Histórico de Dubrovnik
Forte São João, à esquerda

Atualmente, o local abriga um pequeno aquário com 27 tanques, no entanto, ele é muito sem graça. Lá fica, também, o Museu Marítimo, onde há uma exposição contando a história da ascensão da República de Dubrovnik e o desenvolvimento do seu comércio, no Adriático e no Mediterrâneo. A cidade, outrora, rivalizava com Veneza e outras grandes potências marítimas europeias e também se tornou uma importante república mercante.

Turista na muralha com Forte de São João e marina ao fundo_Dubrovnik
Forte São João ao fundo, bem em frente à marina

O porto

Depois que terminamos a nossa maravilhosa volta de 360° pelas muralhas, fomos até o porto para comer alguma coisa. O lugar é bonito e agradável, além deser  bem movimentado, pelo entra-e-sai dos barcos e dos turistas, fotografando ou esperando pelos seus passeios. De lá se tem uma bela visão da marina, da parte nova da cidade, fora dos muros, e da badalada Praia de Banje, a mais próxima do Centro Histórico.

Turista na muralha com a parte nova da cidade ao fundo_Dubrovnik
Quase terminando o passeio, mas com vontade de começar tudo de novo!
A marina e a parte moderna de Dubrovnik
A marina e a parte moderna de Dubrovnik

Dubrovnik: dica 2

Para quem como nós, adora frutos do mar e não tem nem medo nem frescuras de se jogar em lugares alternativos, o porto é um ótimo lugar para comidas frescas, saborosas e com preço mais em conta. O local, além de ser muito bem organizado, também tem vários restaurantes simpáticos e “pé limpo”, pra se aventurar sem medo de ser feliz! Bon apetit!

Turista no charmoso porto da Cidade Histórica_Dubrovnik
O charmoso porto, de onde saem vários passeios
Porto do Centro Histórico de Dubrovnik
Tudo é muito limpo e organizado

Então, lá saboreamos um delicioso prato de mexilhões e uma salada de polvo, que estavam fresquíssimos! Não é à toa que o porto fica sempre cheio de turistas, durante o dia e também à noite, quando o local fica todo iluminado, bem charmoso e romântico!

Casal de turistas num restaurante do porto do Centro Histórico_Dubrovnik
Pra quem gosta de frutos do mar, comer nos restaurantes no porto é um programão!

Há opções para vários gostos e bolsos, com restaurantes mais populares, mas ótimos, e outros mais sofisticados, estilosos e caros. Ficamos lá um tempão, descansando, hipnotizados pelo movimento incessante de barcos e de pessoas…

Marina cheia de barcos no porto antigo de Dubrovinik
A bela marina da cidade

O teleférico

Antes do pôr do sol, outro programão! Subimos 405 metros acima do nível do mar, até o topo do Monte São Sérgio, ou Monte Srđ, para ter a melhor vista de Dubrovnik! Pegamos o simpático e moderno cable car laranjinha, que foi originariamente construído em 1969, época em que era bem mais lento e transportava apenas 15 passageiros.

Turista em frente ao teleférico de Dubrovnik
Mais um dia lindo, com ótima visibilidade!

Hoje, os bondinhos transportam até 32 passageiros, percorrendo um total de 778 metros, em menos de 4 minutos! Todas as instalações das duas estações do teleférico são adaptadas para deficientes, com acesso fácil à cabine, banheiros e elevador. Os tíquetes podem ser comprados online, no Restaurante Dubravka (perto do Pile Gate) ou na bilheteria da estação, que fica fora da muralha e perto do Corpo de Bombeiros.

Bondinho do teleférico com a cidade intramuros ao fundo_Dubrovnik
O simpático bondinho

Essa área estratégica do Monte Srđ foi bem destruída na Guerra dos Balcãs e reconstruída em 2010. Então agora tudo está bem mais bonito e moderno. Além da vista espetacular, o local oferece wi-fi grátis; toaletes; loja de suvenires; dois terraços panorâmicos; telescópios; restaurante em três ambientes; e o interessante Museu da Guerra. Na alta temporada, a estação fica aberta das 9:00hs às 24:00hs.

Bondinho e panorâmica da cidade intramuros à beira-mar_Dubrovnik
Foto do site
Bondinho e panorâmica da parte antiga e da parte nova de Dubrovnik
Foto do site

A melhor vista!

Pois é, lá do alto, a panorâmica é simplesmente maravilhosa! Aos seus pés está a cidade murada, parecendo feita de lego; à esquerda estão a ilha Lokrum e a Praia Banje; à direita se vêem a parte moderna da cidade, a ilha Elafiti e o Porto Gruž, por onde chegam os grandes transatlânticos. Completando a paisagem, há o agradável Restaurante Panorama, que merece uma parada para um drink inesquecível no paraíso!

Restaurante no topo do Monte Sérgio e a ilha Lokrum ao fundo_Dubrovnik
Restaurante Panorama, em vários ambientes, e a ilha Lokrum ao fundo
Panorama da cidade murada de Dubrovnik vista do alto do Monte Sérgio
Eu poderia ficar a vida toda olhando essa vista…
Bondinho e vista da cidade moderna, da ilha Elafiti e do Porto Gruž_Dubrovnik
Vista da parte moderna da cidade, da ilha Elafiti e do Porto Gruž

Foi difícil me arrancar de lá! O lugar é muito agradável e tem várias opções, então foram muitas fotos, um drink pra ficar na lembrança e um museu bem interessante. Faça um tour de 180° pra ter uma ideia do lugar e confirmar que não estou exagerando. O visual é realmente incrível!

Casal no topo do mirante com o Centro Histórico de Dubrovnik abaixo
The best selfie ever!
Vista aérea da cidade murada de Dubrovnik
Lá de cima a cidade murada parece que é de brinquedo!
Bondinho do teleférico de Dubrovnik ao pôr do sol
Pôr do sol mágico!

O Museu da Guerra

Antes de descermos, demos uma passada no Museu da Guerra, que fica dentro do Forte Imperial. Ele foi construído por Napoleão entre 1806 e 1812, durante a ocupação francesa em Dubrovnik. Após a queda desse imperador, o forte perdeu a sua finalidade de proteção, e foi meio que esquecido.

Forte Imperial_Dubrovnik
Fort Imperial

Porém, pela sua localização estratégica, o forte foi a principal zona de defesa da cidade, durante a “Guerra da Pátria”, como os croatas chamam a Guerra dos Balcãs (1991-1995). E, desde 2008 o local abriga a exposição permanente sobre a guerra. Há um vasto acervo com fotos impressionantes, documentos originais, armamentos, bandeiras e vídeos. E tudo tão recente…

Forte Imperial à esquerda e a estação do teleférico à direita_Dubrovnik
O Forte Imperial à esquerda e a estação do teleférico, à direita
Dentro do museu do Forte Imperial_Dubrovnik
Dentro do forte-museu

No pain no gain!

De fato, para os aventureiros, há a opção de caminhar até o alto do Monte Srđ! O percurso começa no Ploče Gate e segue por uma das mais antigas estradas em Dubrovnik, do séc. VI! A subida é fácil, feita pela aldeia Bosanka, que fica bem acima da cidade murada. Então, depois de cerca de uma hora de subida chega-se ao Forte Imperial e a volta é feita pelo Pile Gate. Bóra? Te espero lá em cima!

Caminhada até o topo do mirante com a cidade murada ao fundo_Dubrovnik
Oi gente animada, força que já está chegando!

Principais atrações de Dubrovnik

No dia seguinte, nos concentramos na cidade antiga, conhecendo as suas principais atrações, muitas delas na Stradun. Então, perto do Ploče Gate ficam a Igreja de São Brás, com a Coluna de Orlando em frente, a torre do Relógio, a Catedral de Dubrovnik, o Palácio de Sponza, o Palácio do Reitor e a Praça Luža, onde tem a feira matinal. Perto do Pile Gate estão a Fonte Onofrio e o Mosteiro Franciscano.

Mapa com as atrações de Dubrovnik
Mapa com todas as atrações de Dubrovnik

Igreja de São Brás (St Blaise/St Vlaho)

A “queridinha” da cidade, de fato, fica na Praça Luža. Ela é em estilo Barroco e foi construída por um arquiteto veneziano, em 1715. Antes dela havia outra igreja românica, de 1368. Centenas de estátuas de São Brás  podem ser encontrados por toda a cidade, embutidas nas paredes, para proteger os moradores das desgraças e das hostilidades.

Close na estátua de São Brás, patrono de Dubrovnik
Viva São Brás, patrono de Dubrovnik!

A antiga igreja de 1368 foi muito danificada no “Grande Terremoto de 1667”. Essa catástrofe foi responsável por mudar totalmente o estilo da cidade: de gótico-renascentista passou para o barroco-romano “modesto”. Mas, a nova igreja de 1715 também foi totalmente destruída num incêndio (ô São Brás, já deu, né?). Misteriosamente, a estátua do santo saiu intacta dessas tragédias! Este fato foi interpretado pelos fieis como um milagre! Os belos vitrais foram feitos por um artista local em 1971, e ficam lindos à noite!

Igreja de São Brás no Centro Histórico de Dubrovnik
Igreja de São Brás
Igreja de São Brás com os belos vitrais iluminados_Dubrovnik
Igreja de São Brás com os seus belos vitrais iluminados

Coluna de Orlando

Essa bela coluna fica em frente à Igreja de São Brás e foi erguida em 1418. Esse jovem era sobrinho de Carlos Magno (800-814), o imperador romano que foi um grande promotor das artes e da instrução. Então,  a sua corte transformou-se num verdadeiro centro cultural. Orlando se tornou uma lenda porque era um menestrel que costumava entoar cantigas de exaltação à nobreza e à liberdade.

Igreja de São Brás com a Coluna de Orlando à esquerda-Dubrovnik
Igreja de São Brás com a Coluna de Orlando à esquerda

Segundo a lenda do séc. IX, Orlando e sua frota salvaram Dubrovnik do cerco de piratas sarracenos. Então, os cidadãos ergueram esta coluna em sua homenagem, bem no centro da Praça Luža, coração político e social da cidade. A coluna, na verdade, representa a liberdade da República da Ragusa, além de ter sido o local dos anúncios do governo e também das execuções públicas.

Coluna de Orlando_Dubrovnik
Coluna de Orlando

Torre do Relógio

Ao fundo da Stradun se avista esta bela torre de 31 metros de altura, que foi erguida em 1444. Próxima à torre está a Galeria do Sino, composta por 4 sinos de 1463, que eram tocados pra avisar aos moradores sobre algum perigo iminente. Após o terremoto de 1667, o campanário começou a se inclinar, então em 1929 ele foi totalmente demolido e substituído por um novo, que seguiu à risca o antigo desenho da torre.

Torre do Relógio e a Igreja de São Brás_Dubrovnik
Torre do Relógio e a Igreja de São Brás

Catedral de Dubrovnik

Localizada logo depois do Palácio do Reitor, essa catedral tem uma lenda interessante! Em 1192 Ricardo Coração de Leão naufragou em Lokrum, a ilha quase em frente à cidade. Em agradecimento por ter sobrevivido, ele prometeu construir uma igreja na ilha, mas os líderes de Dubrovnik o convenceram a construi-la na praça principal da cidade. E assim ela foi erguida no séc. XII, em estilo românico, mas a construção virou pó no terremoto de 1667. Depois, entre 1672 e 1713, ela foi reconstruída em estilo barroco.

Ilha Lokrum com Dubrovnik ao fundo
Ilha Lokrum com Dubrovnik ao fundo

Em 1979, logo após outro terremoto, a Catedral de Dubrovnik precisou de uma renovação. Assim, durante os trabalhos os escavadores descobriram uma catedral bizantina do séc. VII ou VIII, que estava sob os alicerces da primeira catedral românica (aquela do séc. XII). Certamente, isso mudou completamente a visão sobre a fundação da cidade! Ficou provado que naquela época ela já tinha um conjunto urbano bem construído. Antes desta descoberta, o séc. VII era tido como o da fundação da cidade, mas agora tudo mudou, pois ficou provado que ela é bem mais antiga!

Catedral de Dubrovnik
Catedral de Dubrovnik

Palácio Sponza

Esse palácio abrigou a alfândega, um banco e vários escritórios do estado. Foi construído em estilo gótico-renascentista, entre 1516-1522, e sobreviveu ao terramoto de 1667, ufa!!! Este fato ajudou a preservar a República de Dubrovnik, pois os assuntos da cidade prosseguiram, apesar da grande destruição ao redor! Hoje, o palácio guarda os arquivos da cidade, com uma incrível coleção de manuscritos históricos, sendo o mais antigo de 1022! É, ainda, local da cerimônia de abertura dos Festivais de Verão da cidade.

Palácio Sponza com a Torre do Relógio_Dubrovnik
Palácio Sponza com a Torre do Relógio

Palácio do Reitor

Construído em estilo gótico-renascentista e alguns detalhes barrocos, era a sede da República da Ragusa. Muitas obras foram feitas ao longo de sua turbulenta história, pois o palácio foi destruído por incêndios e ficou bem danificado por explosões de pólvora e terremotos! A primeira referência do edifício vem de 1296 e a última intervenção foi feita em 1731. Hoje em dia, abriga o Departamento de História do Museu de Dubrovnik. Que tal espalhar mais imagens de São Brás e sal grosso pela cidade? Ela precisa!

Palácio do Reitor_Dubrovnik
Palácio do Reitor

 Fonte Onofrio

Essa fonte fica perto do Pile Gate e foi  construída em 1438, pelo arquitecto italiano Onofrio della Cava. Ela tem 16 bicas, que ainda funcionam, mas ficou bastante danificada no terramoto de 1667 e também na guerra de 1992. Essa fonte fazia parte do sistema de abastecimento construído no séc. XV, que trazia a água desde o rio Dubrovacka, a 12 km de distância da cidade.

Fonte Onofrio no Centro Histórico_Dubrovnik
Fonte Onofrio

Mosteiro Franciscano

A ordem franciscana chegou em Dubrovnik por volta de 1234, no entanto, o mosteiro dentro das muralhas da cidade só foi construído em 1317, em estilo gótico-românico. O trabalho continuou ao longo dos séculos, até que o edifício sucumbiu no terremoto de 1667.

sfrancsico
O mosteiro abaixo, à esquerda, visto de cima da muralha

Uma nova igreja foi reconstruída em estilo barroco, que hoje abriga uma das bibliotecas mais antigas e ricas da Croácia. Sem dúvida, ela é famosa em todo o mundo pelo grande valor do seu inventário. Além do museu, o mosteiro contém aquela que é considerada uma das mais antigas farmácias da Europa, de 1317.

Franciscan
Entrada do Mosteiro Franciscano

Os armários e balcões da farmácia também são do séc. XIV e os potes foram feitos em Siena e Florença. Alguns são dessa mesma época, outros mais antigos, anteriores à sua fundação. Embora tenha medicamentos atuais, a farmácia é famosa por vender o seu cobiçado creme anti-rugas, feito de lavanda, flor típica do país, rosa, alecrim ou laranja, que vêm em lindos potinhos!

image92
Os cremes anti-rugas
franciscan-monastery-006
A botica antiga

Dubrovnik: mar azul piscina!

O dia seguinte em Dubrovnik foi todo dedicado ao mar! De manhã fomos a pé até Banje, a praia mais próxima, com o intuito de se ter uma panorâmica impactante da cidade, com a vista da marina e do Forte São João! O caminho é agradável e tranquilo, e a praia segue o padrão Europeu: a parte em frente ao Banje Beach Lounge tem espreguiçadeiras pagas, restaurante, bar e boate; o resto da praia é aberta ao público.

2014-08-31 05.11.28
Forte São João ao fundo
20140831_120533
O antigo e o moderno juntos

Banje também tem pedrinhas no lugar da areia, no entanto, o marzão em vários tons de azul e a temperatura agradável da água fazem a gente esquecer desse detalhe! Pra quem gosta de beach clubs, o de lá é bem bonito e, além do bar e do restaurante, oferece massagens; esportes aquáticos; e aluguel de vários tipos de barcos, para passeios nos arredores de Dubrovnik.

2014-08-31 06.31.32
Banje Beach & Lounge
2014-08-31 05.10.58
Banje Beach

Fora das muralhas do Centro Histórico de Dubrovnik

Depois da praia, voltamos ao porto para pegar o barco que faria um passeio de 40 minutos em volta dos arredores de Dubrovnik. É muito interessante ver a muralha do mar, com as pessoas andando por cima dela, tudo parece de brinquedo! Então, deu pra ver que a cidade é ainda bem verde e o quanto a parte antiga convive harmoniosamente bem com a parte antiga, em termos estéticos!

20140829_110300
O porto com a parte moderna da cidade
2014-08-30 05.12.50
A grande muralha vista do mar

Onde ficar em Dubrovnik

Apartamento

Depois desse dia todo dedicado ao mar, voltamos para a nossa “casa” mortos de cansaço e de fome! Mais uma vez optamos por ficar num apartamento ao invés de num hotel e, sem dúvida, acertamos de novo! Localizado bem no centro histórico, o Nije Preša Apartments,  foi um achado na internet, já que ele fica perto de tudo, numa rua perpendicular à Stradun. Ao lado do prédio há uma sorveteria/creperia maravilhosa, então virou a nossa parada diária obrigatória!

70738391
A nossa rua: a entrada do prédio é à direita, antes das mesas
30623790
Dentro do prédio

O edifício é muito antigo, tem um porta de madeira enorme e original, mas dentro tudo é novo e moderno! Também há ar-condicionado, wi-fi e TV a cabo, a cozinha é super equipada, então deu até para preparar algumas boas refeições. Com efeito, o quarto e o banheiro são amplos e o chuveiro é divino. Tudo é limpo, lindo e confortável! Além de ser bem simpática e atenciosa, Inês, a proprietária, também nos deu ótimas dicas de restaurantes!

70815748
A ampla sala
2014-08-30 18.43.10
Cama grande com ótimo colchão!

Hoteis

No entanto, para quem prefere um hotel, dentro da cidade murada há duas opções bem charmosas: o Pucić Palace e o Stari Grad. Ambos são no estilo hotel boutique, ficam em prédios antigos e têm poucos quartos. Mas, por dentro são modernos e confortáveis.

pucic_palace_dubrovnik02
Pucić Palace Hotel
Hotel-Stari-grad-restaurant-Above5-13
Hotel Boutique Stari Grad

Fora da muralha, mas bem próximo do Pile Gate, tem o Hilton Imperial Dubrovnik, um hotel mais convencional e luxuoso.

EUROPEMEDITERRANEANCROATIACROATIADES_001505DUBROVNIKRES_000465HILTONIMPERIALHOTEL
Hilton Imperial Dubrovnik

Onde comer

A gastronomia croata é um mix de influências, porque vários povos passaram por lá. A maior influência é dos italianos, embora vá muito além da pasta! Seguimos algumas orientações da Inês, assim, fomos ao Kopun Restaurant, localizado na bela praça onde fica a Igreja de Santo Inácio, no alto da Escadaria dos Jesuítas, também conhecida como Escadaria Barroca (Baroque Stairs).

2014-08-31 13.58.30
Restaurante Kopun

Outro lugar que amamos foi o Konoba Moskar, duas ruas acima do nosso apartamento (Prijeko 16). O lugar é bem agradável, já que conta com várias mesas ao ar livre, como é de praxe no verão. Reservas são obrigatórias, por isso reservei todos os restaurantes usando whatsapp ou SMS, e deu certo! Pra variar, pedimos frutos do mar, frescos e saborosos!

2014-08-30 20.48.12
Lula e polvo grelhados com molho de limão siciliano

Onde agitar

Pra tomar um drink, especialmente ao pôr do sol, não há melhor lugar do que o Buža Bar (buža=buraco). Achá-lo é meio difícil! Então, na Praça Boškovic, virando à esquerda, há uma placa que diz: “Cold drinks with the most beautiful view” (bebidas geladas com a vista mais bonita).

dubrovnik_photo_tour_IMG_0048-2
O agradável Buža Bar

Siga esta placa e, depois de uma curta caminhada, haverá o tal buraco na parede, que é a entrada do bar. Enfim, ele fica encarapitado nas pedras, muita gente mergulha de lá e depois volta pra ficar apreciando a vista do mar Adriático e da ilha de Lokrum. Porque a vista é muito linda!

my1
Buža Bar visto do barco

Enfim, depois de tanta beleza e história, agora contamos os dias para a 8ª temporada de Game of Thrones! Enquanto ela não começa, divirta-se vendo os locais na cidade onde foram filmadas várias cenas da saga! Valar Morgulhis! Valar Dohaeris!

About The Author

Deixe um Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Translate »
Close