Top Menu

Paraty, uma cidade eclética!

Paraty tem história, praias, natureza e novidades sempre! Ela é do mar e da montanha, porque as suas lindas praias têm a Serra do Mar a emoldurá-las. Tem vários alambiques com premiadas cachaças, além de todos os anos sediar a Flip (Feira Literária Internacional). É chique e despretensiosa, recebendo turistas do Brasil e do mundo, pois há hoteis, restaurantes, passeios e compras para todos os gostos e bolsos!

Arquitetura colonial de Paraty
Arquitetura Colonial de Paraty
As casas em estilo colonial e o calçamento pé-de-moleque
As casas em estilo colonial e o calçamento pé-de-moleque

Paraty ou Parati?

Parati, com “i”, é o nome indígena de um peixe muito encontrado na região. Mas, os jesuítas que catequizaram os índios substituíram o “i” pelo “y”. Assim, em 1942, quando houve uma reforma ortográfica no Brasil, as letras W, K e Y foram eliminadas. Como resultado, passou-se a escrever o nome da cidade com “i”. Por isso, hoje em dia há “Parati”, e também “Paraty”!

O gostoso peixe parati
O gostoso peixe parati

A fundação de Paraty

Paraty foi fundada em 1667 em torno da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, sua padroeira. Felizmente, preserva até hoje os belos casarios das épocas dos ciclos do ouro e da cana de açúcar. Ademais, ela é toda em estilo colonial e foi tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). No século XVIII era um importante porto que levava as pedras preciosas de Minas Gerais diretamente para Portugal.

As muitas janelas coloniais de Paraty
As muitas janelas coloniais da cidade

A Estrada Real

Mas, com a abertura da Estrada Real, que se ligava diretamente ao Rio de Janeiro e a São Paulo, a cidade caiu no esquecimento. Essa estrada, que também era chamada de “Caminho do Ouro”, foi construída pelos escravos entre os séculos XVII e XIX, aproveitando as trilhas usadas pelos índios.

Casas coloniais refletidas na enorme poça d'água

Assim, a construção dessa via aconteceu para evitar o roubo do ouro e das pedras preciosas, que deveriam ir para a Coroa Portuguesa, mas eram desviadas. Então, passou-se a utilizar somente estes caminhos controlados pela coroa. De fato, o passeio pelo antigo caminho do ouro é muito interessante e há várias agências em Paraty que fazem esse tour em veículos apropriados.

Mapa da Estrada Real (ou Caminho do Ouro)
Estrada Real ou Caminho do Ouro

Paraty, ums cidade planejada

Ao contrário da maioria das cidades brasileiras, Paraty foi planejada! Por causa da importância do seu porto, os portugueses seguiram os padrões das cidades lusitanas, definindo o traçado das ruas e determinando onde ficariam as igrejas, as praças e as residências. Assim, o Centro Histórico foi inspirado na cidade de Óbidos, por isso teve o traçado das suas ruas influenciado pelas constantes subidas das marés, que até hoje invadem a cidade.

O traçado da cidade de Paraty inspirado em Óbidos
O traçado lusitano de Paraty

O papel da Moçonaria em Paraty

Sem dúvida alguma, Paraty foi bastante influenciada pela maçonaria. Esta instituição filosófica não-religiosa surgiu na Idade Média, na Europa, quando a igreja católica proibia a reunião de pessoas que questionavam o seu domínio. Então, para fugir dos inquisidores, a classe média formou uma espécie de associação secreta, que buscava a verdade através da razão e da ciência, e não apenas através da fé.

 Típica casa maçon de Paraty
Típica casa maçon

A chegada dos maçons

Os maçons chegaram a Paraty por volta de 1700, fugidos da Europa. Lá, foram recebidos como “Os Iluminados” e influenciaram os costumes do povoado. Suas reuniões eram secretas e sempre variavam de lugar, para não serem descobertas. Por isso, os maçons passaram a marcar a vila com sinais característicos da sua simbologia, para indicar que ali era um abrigo seguro.

Paraty

Então, as portas e janelas da maioria das casas foram pintadas de azul e branco, cores que remetem à maçonaria. Curiosamente, há vários maçons famosos na nossa História, como José Bonifácio, Gonçalves Ledo, D. Pedro I e sua família!

Sinais da simbologia maçônica
Sinais da simbologia maçônica

Década de 70: saindo do ostracismo!

Felizmente, com a abertura da Estrada Paraty-Cunha, e principalmente após a construção da rodovia Rio- Santos, na década de 70, a cidade saiu do esquecimento! Então, ela começou a se transformar num próspero pólo turístico, gastronômico e literário, para brasileiros e estrangeiros! Isso, graças ao seu bom estado de conservação arquitetônica e às suas belezas naturais.

Mapa d Rodovia Rio-Santos
Mapa d Rodovia Rio-Santos

 As praias para ir de barco

Paraty tem muitas praias maravilhosas, mas por ironia, as que ficam na cidade não são boas. Como resultado, há vários passeios de barco que podem ser feitos ou numa escuna grande, ou em traineiras menores, que oferecem roteiros personalizados. Para uma primeira vez, até recomendo uma escuna, que apesar de ser bem maior, porque é animado e o roteiro inclui paradas bacanas para mergulho. Todas saem do píer de Paraty e visitam as praias do Lula, VermelhaConceição e Saco da Velha. De traineira dá para chegar às ilhas dos Meros, dos Cocos e do Algodão, que são imperdíveis!

Paraty

Paraty
Ilha dos Meros

As praias para ir de carro

No entanto, há outras praias muito bonitas que podem ser alcançadas de carro, seguindo na direção do Rio de Janeiro: Praia Grande, a uns 10 km do Centro Histórico e São Gonçalo e São Gonçalinho, a 30 km.  Então, partindo delas, recomendo conhecer as ilhas do Cedro, do Araújo, dos Pelados e dos Peladinhos. Na alta estação há sempre barcos partindo do píer da Praia Grande. Mas, na baixa estação eles só saem do píer de Tarituba, a 35 km de Paraty.

Paraty

Paraty
Ilha dos Pelados

Mais atrações nos arredores de Paraty

O Saco do Mamanguá

Indo no sentido de São Paulo e partindo da Praia de Paraty-Mirim, somente pelo mar, em 45 minutos se alcança o Saco do Mamanguá, o nosso “fiorde tropical”! O nome é porque ele tem um longo braço de mar que avança entre as montanhas, com 8 km de extensão por 1 km de largura.

Saco do Mamanguá
Saco do Mamanguá

Ao fundo, há um bem conservado manguezal, porque a área está protegida das correntes marinhas e das ondulações. Como a temperatura de água costuma ser mais quente do que em outras regiões, o lugar é um berçário natural de peixes, crustáceos (especialmente camarões) e moluscos.

Saco do Mamanguá
Manguezal do Mamanguá

O grande atrativo do fiorde é o Morro do Pão de Açúcar, porque do topo, após uma caminhada de aproximadamente 1h30, se tem uma das vistas mais bonitas da região! O Mamanguá também tem várias opções bacanas de pousadas e de outras atividades.

Saco do Mamanguá - Pico do Pão de Açucar
Pico do Pão de Açúcar

Os alambiques

Sem dúvida, outro programa pitoresco é conhecer os alambiques que ficam nas redondezas de Paraty, os quais também ajudaram a espalhar a boa fama da cidade. Assim, um dos mais conhecidos e recomendados é o da premiada cachaça Maria Izabel, que fica a 8 km ao norte da cidade. As instalações ficam num lugar muito bonito à beira-mar, aberto à visitação, mas que deve ser agendada previamente.

Paraty

Paraty
Cachaça Maria Izabel

Não é preciso gostar de pinga (nome popular da cachaça) nem de caipirinha (bebida feita com suco de limão, açúcar e cachaça) para visitar os alambiques, porque esses locais são bem interessantes, em termos históricos e culturais. Além disso, alguns têm uma ótima estrutura, com loja, restaurante a atividades recreativas, como o Murycana, que tem atrações e divertimento para a garotada também!

Paraty
Alambique Maria Izabel

Restaurantes em Paraty

Em Paraty há diversas opções de bons restaurantes, com ambientes agradáveis e comidas saborosas e exóticas como: Thai Paraty (comida tailandesa); Banana da Terra (peixes, carnes e vegetariano), Benditas (peixes e carnes), Punto Divino (massas e pizzas realmente divinas!), Cervejaria Caborê (comida alemã, cervejas e chopes artesanais fabricados no local).

Restaurantes off Paraty

Perto da cidade há dois lugares bem aprazíveis, que valem muito uma visita: 1) Villa Verde, lugar fresco, arejado e rodeado por bela mata e jardins, oferecendo ainda um riozinho refrescante, para depois sim, ter um almoço gostoso e farto, com massas frescas feitas na hora pelo chef e proprietário. Ademais, há no local uma casa muito charmosa para se alugar!

Paraty

2) O Quiosque São Francisco é um pé-na-areia simpático e descontraído, bem em frente à Praia Grande É o meu preferido, porque tem pratos de frutos do mar fresquinhos e muito bem preparados. Assim, os destaques são o ceviche e o polvo ao vinagrete, e para a sobremesa, a banana flambada na cachaça. Então, tudo lá é preparado com muito capricho pela jovem chef e proprietária Catarina. Ela ainda encontra tempo para fazer lindos artesanatos que estão à venda, juntamente com boas cachaças, na simpática lojinha do restaurante!

Paraty

Restaurantes em ilhas

Temos ainda dois restaurantes charmosos que ficam em ilhas: Kontiki, na Duas Irmãs  e Restaurande do Hiltinho, na do Algodão. O primeiro disponibiliza um barco que parte do cais de Paraty, numa viagem rápida e agradável. Mas, também dá pra chegar com barco próprio, porque há um cais e várias bóias. Em ambos a paisagem, a decoração exótica e a comida são boas e variadas. De fato, valem a visita!

Paraty
Restaurante Kontiki
Paraty - Restaurante do Hiltinho
Restaurante do Hiltinho

As três festas mais famosas de Paraty

Carnaval

1) O Carnaval, com o desfile do folclórico Bloco da Lama, formado por seres quase pré-históricos, que saem do mangue da Praia do Jabaquara e seguem em direção ao Centro Histórico, levando muita alegria e espantando as tristezas (e algumas crianças também!).

Paraty - Carnaval

Paraty - Bloco da Lama
Bloco da Lama

Festa do Divino

A Festa do Divino, que foi trazida pelos colonizadores e acontece em Paraty desde o 18. Realizada no dia de Pentecostes (50 dias após a Páscoa), homenageia a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. São 11 dias inteiros de missas, jogos, bebidas, comidas, danças típicas e shows musicais. O Divino vem mantendo, ao longo dos séculos, o mesmo espírito comunitário, religioso e folclórico dos primeiros tempos.

Paraty - Festa do Divino

FLIP

Flip, Festa Literária Internacional, é um dos eventos culturais mais importantes do Brasil e da América do Sul. Conta sempre com a participação de importantes escritores, nacionais e estrangeiros. Há vários debates, palestras, oficinas, filmes, shows e exposições nos prédios históricos e nas tendas armadas na praça e nas ruas da cidade. A cada ano, um grande escritor já falecido é homenageado.

Paraty - FLIP
FLIP
Paraty - FLIP
FLIP – Feira Literária Internacional de Paraty

Quando ir

A cidade tem diversão para todos os gostos e bolsos! No verão Paraty fica mais cara, lotada e bem alegre! Os dias duram mais e o sol brilha bastante, embora tenha a possibilidade de chuvas. Isso acontece por conta da proximidade com a mata atlântica ao redor. Em maio tem a Festa do Divino, em julho acontecem vários festivais gastronômicos e em agosto tem a FLIP!

Onde ficar

A cidade fica a 250 km do Rio e a 300 de São Paulo, seguindo pela sinuosa Rio-Santos. Em compensação, há belíssimas paisagens do mar, das ilhas e da abundante vegetação da Mata Atlântica. Na cidade há muitas opções de pousadas, de vários preços, dentro ou fora do Centro Histórico, onde carro não entra, pois é fechado por grossas correntes! As minhas preferidas:

Dentro no Centro Histórico

Pousada da Marquesa

Paraty

Pousada do Sandi

Paraty

Fora do Centro Histórico

Villas de Paraty

Paraty

Pousada Paisagem

Paraty

Dica

Para uma 2ª ou 3ª viagem a Paraty, mas que não seja na alta temporada, recomendo um passeio a Trindade, que fica a 30 km, em direção a São Paulo. O local fica numa APA (Área de Proteção Ambiental) e suas lindas praias, trilhas e cachoeiras são cercadas pela exuberante Mata Atlântica. A vila de Trindade oferece várias opções de hospedagem, compras e gastronomia, mas sempre mantendo o estilo rústico-charmoso característico do lugar.

Trindade
Trindade
Trindade
Trindade

Mapa de Paraty

Enfim, Paraty tem divertimento o ano todo, para todos os gostos e bolsos. Além das praias e ilhas paradisíacas, tem extensa vida cultural e uma noite pra lá de animada. É um pouco longe do Rio de Janeiro, mas sem dúvida vale uma visita de no mínimo 3 dias. Porque Paraty é para todos! 🙂

Deixe um Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Translate »
Close